Logo da AAPOT

Paciente com câncer: cuidados especiais em tempos de coronavírus

Material elaborado com base nas informações repassadas pelo Instituto Oncoguia.

Quais cuidados as pessoas que moram com pacientes oncológicos precisam ter?

Parentes ou pessoas próximas de pacientes com câncer devem evitar contato com os pacientes oncológicos em caso de qualquer sintoma suspeito de gripe. Pessoas próximas também devem evitar contato com terceiros que tenham suspeita ou infecção confirmada pela COVID-19.

Pacientes com baixa imunidade, é necessário usar máscara?

Pacientes sem sintomas respiratórios, como tosse e falta de ar, não precisam usar máscara. A OMS recomenda o uso de máscaras para pessoas que apresentam sintomas da COVID-19 e para aqueles que cuidam de indivíduos com sintomas e suspeita de COVID-19.

Tenho consulta agendada para os próximos dias, o que eu faço?

A recomendação até o momento é de adiar consultas e exames muito simples ou de rotina, reduzindo a exposição. É importante também evitar visitas hospitalares e, se possível, não levar muitos acompanhantes em consulta. Evite ir na emergência por problemas simples.

Devo interromper meu tratamento oncológico?

Não interrompa sob nenhuma hipótese seu tratamento oncológico. Converse com seu médico sobre a melhor forma de você continuar realizando o seu tratamento sem correr riscos.

Pacientes com a imunidade baixa tem mais riscos?

Entre os pacientes com câncer, os que têm maior risco de desenvolver a forma grave da infecção pelo COVID-19 são: aqueles com neoplasias hematológicas (como leucemias, linfomas e mieloma múltiplo); aqueles que passaram por transplante de medula óssea e aqueles em tratamento com quimioterapia.

Paciente que já passou pelo tratamento oncológico é considerado paciente de risco?

Pacientes que estão sem evidência de doença e que não estão em tratamento oncológico têm o risco aproximado de uma pessoa da mesma idade que não teve câncer.

Quais são as medidas preventivas para o paciente oncológico?

• Não interromper seus tratamentos oncológicos;

• Evitar o contato físico com qualquer pessoa que tenha sintomas gripais e/ou que esteja em investigação do coronavírus;

• Evitar contato com pessoas que estejam chegando do exterior, com ou sem sintomas gripais;

• Caso apresente um dos seguintes sintomas, contatar seu médico imediatamente: febre, coriza, tosse seca e falta de ar.

E se o paciente com câncer for diagnosticado com a COVID-19 durante o tratamento?

Neste caso, é preciso, juntamente com seu médico, avaliar a possibilidade de interrupção temporária do tratamento analisando os riscos oncológicos desta decisão. Segundo a Sociedade Brasileira de Radioterapia, se for possível a interrupção temporária, o paciente deve aguardar a recuperação clínica para retomar o tratamento. Se não for possível, é preciso organizar um esquema especial para seguir com o tratamento separadamente.

Estou em tratamento de um câncer de mama, preciso ficar alerta?

Sim. Mulheres com diagnóstico atual de câncer de mama e que estejam em tratamento (principalmente quem realizou cirurgia recentemente ou está passando por sessões de quimioterapia e radioterapia) são consideradas vulneráveis por apresentarem uma certa deficiência imunológica e precisam redobrar os cuidados no seu dia a dia para evitar o contágio do novo coronavírus.